Exercício de Literatura sobre poesia - Trovadorismo [com gabarito]

Este é um exercício bastante simples de Literatura a partir de períodos literários que tenho trabalhado em sala de aula. Neste caso, falava sobre poesia trovadoresca. Faça o exercício abaixo e, depois, a lista que apresento.



Sobre a poesia trovadoresca em Portugal, é INCORRETO afirmar que:
 
a) refletiu o pensamento da época, marcada pelo teocentrismo, o feudalismo e valores altamente moralistas.
b) representou um claro apelo popular à arte, que passou a ser representada por setores mais baixos da sociedade.
c) pode ser dividida em lírica e satírica.
d) em boa parte de sua realização, teve influência provençal.
e) as cantigas de amigo, apesar de escritas por trovadores, expressam o eu-lírico feminino. 

Gabarito: B

Ficou na dúvida sobre a resposta Confira abaixo o porquê da escolha.

Trovadorismo

Inicia-se em meio ao feudalismo, durante a consolidação de Portugal como um reino independente de Leão. A Primeira Época Medieval (do século XII ao início do século XV) termina em 1418, ano em que Fernão Lopes é nomeado guarda-mor da Torre do Tombo.

Quais as características do Trovadorismo?


  • Teocentrismo
  • Moralismo religioso
  • Literatura espiritual
  • Amor cortês (amor educado e comedido típico da Corte)
  • Vassalagem amorosa (servilismo do trovador em relação à dama)
  • Espírito de aventuras (novelas de cavalaria)
  • Predomínio do sentimento.
Como foi a produção literária deste período

As Cantigas Líricas:

  • de Amor (o "eu-poético" é masculino, declarando seu amor a uma mulher);
  • de Amigo (o "eu-poético" é feminino, lamentando a ausência do amado).

As Cantigas Satíricas:


  • de Escárnio (zombam indiretamente de alguém);
  • de Maldizer (satirizam diretamente uma personagem qualquer). 

Estas eram composições feitas para serem cantadas com acompanhamento musical e dança.

As Novelas de Cavalaria:

Originárias das canções de gesta (narrativas de temas guerreiros), as novelas de cavalaria passaram a ser traduzidas, circulando em Portugal a partir do século XIII.
O herói era um cavaleiro medieval que defendia o bem contra o mal passando por muitas aventuras.
Concebido segundo os padrões da Igreja, o cavaleiro era casto, fiel e dedicado à honra cristã.
As novelas do ciclo bretão (que têm o rei Artur ou seus cavaleiros como heróis) caíram no gosto popular português, como Amadis de Gaula (o romance de Amadis e Oriana) e A Demanda do Santo Graal (o cálice sagrado, encontrado pelo cavaleiro vitorioso, Galaaz).

Postar um comentário