Exercício de Literatura sobre Arcadismo com gabarito - 26

Segundo a Wikipedia, o Arcadismo é uma escola literária surgida na Europa no século XVIII, também denominada de setecentismo ou neoclassicismo. O nome "arcadismo" é uma referência à Arcádia, região campestre do Peloponeso, na Grécia antiga, tida como ideal de inspiração poética.

A principal característica desta escola é a exaltação da natureza e de tudo o que lhe diz respeito. Por essa razão muitos poetas do arcadismo adotaram pseudônimos de pastores de Tetões gregos ou latinos. Caracteriza-se ainda pelo recurso a esquemas rítmicos mais graciosos.



Numa perspectiva mais ampla, expressa a crítica da burguesia aos abusos da nobreza e do clero praticados no Antigo Regime.

Adicionalmente os burgueses cultuam o mito do homem natural em oposição ao homem corrompido pela sociedade, conceito originalmente expresso por Jean-Jacques Rousseau, na figura do “bom selvagem”.

Entre outras características do Arcadismo, encontramos:

a) utilização, pelos poetas, de pseudônimos pastoris.
b) condenação do Barroco, que prevaleceu no século XVI, nas suas formas de cultismo e conceptismo.
c) a arte não deve ser concebida como imitação da natureza.
d) o cultismo e o conceptismo.
e) o subjetivismo e o egocentrismo.

Gabarito: A

20 exercícios de Literatura sobre Simbolismo

Simbolismo é o período que estou trabalhando com meus alunos no segundo semestre. Confesso que não é meu período literário predileto, mas ele tem características bastante "legais". Na imagem abaixo, por exemplo, coloco quais são as principais, mas legal mesmo é vê-las nos poemas dos autores consagrados.

Aprenda o que é o Simbolismo

Agora que você tem uma ideia melhor das características, que tal fazermos alguns exercícios?

Abaixo você encontrará 20 exercícios de Literatura sobre Simbolismo. Ao final você ainda poderá conferir o gabarito dos exercícios para verificar se está entendendo bem a matéria.

EXERCÍCIOS DE LITERATURA SOBRE SIMBOLISMO

1) Indique a única alternativa que apresenta os valores da estética simbolista:
a) A lógica, o mistério e a sensibilidade.
b) A intuição, a ciência e a sonoridade.
c) O ilógico, o simbolismo e o científico.
d) A intuição, a musicalidade e a espiritualidade.
e) A evidência, a coerência e o simbólico.

2) (Ucmg) - Das características da obra de Cruz e Souza indicadas abaixo, a única que, sendo de cunho pessoal, foge aos modelos simbolistas é:
a) culto da imprecisão, do misterioso e do vago.
b) exploração consciente da musicalidade das palavras.
c) lirismo impregnado de tom dramático e humanitário.
d) presença de vocabulário com palavras raras e expressivas.
e) tentativa de superação no transcendental e no místico.

3) (11594 Uelondrina) - Assinale a alternativa cujos termos preenchem corretamente as lacunas do texto inicial.
Pode-se afirmar que a poesia ................. não teve, entre nós, a mesma repercussão que teve na Europa. De qualquer modo, essa poética voltada para as sonoridades, os amplos espaços, o Absoluto, o desejo do infinito, e estilisticamente apoiada em sinestesias, enumerações, assonâncias e aliterações, permitiu a ................. consagrar-se com seus versos.
a) pré-romântica - Casimiro de Abreu
b) pré-modernista - Raimundo Correia
c) neoclássica - Basílio da Gama
d) simbolista - Cruz e Sousa
e) parnasiana - Machado de Assis

4) (Mackenzie) - "Ah! plangentes violões dormentes, mornos,
Soluços ao luar, choros ao vento...
Tristes perfis, os mais vagos contornos,
Bocas murmurejantes de lamento.
Sutis palpitações à luz da lua.
Anseio dos momentos mais saudosos,
Quando lá choram na deserta rua
As cordas vivas dos violões chorosos.
Quando os sons dos violões vão soluçando,
Quando os sons dos violões nas cordas gemem,
E vão dilacerando e deliciando,
Rasgando as almas que nas sombras tremem.
Vozes veladas, veludosas vozes,
Volúpias dos violões, vozes veladas,
Vagam nos velhos vórtices velozes
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas."
As estrofes anteriores, claramente representativas do_____ , não apresentam _____ .
Assinale a alternativa que completa corretamente AS DUAS lacunas anteriores.
a) Romantismo - sinestesia
b) Simbolismo - aliterações e assonâncias
c) Romantismo - musicalidade
d) Parnasianismo - metáforas e metonímias
e) Simbolismo - versos brancos e livres

5) (20432 Mackenzie) - Assinale a alternativa em que aparece um trecho do Simbolismo brasileiro.
a) Vejo através da janela de meu trem
os domingos das cidadezinhas,
com meninas e moças,
e caixeiros e caixeiros engomados que vêm olhar
os passageiros empoeirados dos vagões.
b) E não há melhor resposta
que o espetáculo da vida:
vê-la desfiar seu fio,
que também se chama vida,
ver a fábrica que ela mesma,
teimosamente se fabrica,...
c) Ai! Se eu te visse no calor da sesta
A mão tremente no calor das tuas,
Amarrotado o teu vestido branco,
Soltos cabelos nas espáduas nuas! ...
Ai! Se eu te visse, Madalena pura,
Sobre o veludo reclinada a meio
Olhos cerrados na volúpia doce,
Os braços frouxos - palpitante o seio!
d) Eu amo os gregos tipos de escultura:
Pagãs nuas no mármore entalhadas;
Não essas produções que a estufa escura
Das normas cria, tortas e enfezadas.
e) Brancuras imortais da Lua Nova,
frios de nostalgia e sonolência...
Sonhos brancos da Lua e viva essência
dos fantasmas noctívagos da Cova.

6) (11282 Fuvest) - "Só, incessante, um som de flauta chora,
Viúva, grácil, na escuridão tranqüila,
- Perdida voz que de entre as mais se exila,
- Festões de som dissimulando a hora."
Os versos anteriores são marcados pela presença ....................... e pela predominância de imagens auditivas, o que nos sugere a sua inclusão na estética ...................... .
Assinale a alternativa que completa os espaços.
a) da comparação - romântica
b) da aliteração - simbolista
c) do paralelismo - trovadoresca
d) da antítese - barroca
e) do polissíndeto – modernista

7) (7831 Uelondrina) - Identifique os versos tipicamente simbolistas de Cruz e Sousa.
a) Adeus! ó choça do monte!...
Adeus! palmeiras da fonte!...
Adeus! amores... adeus!...
b) Rei é Oxalá que nasceu sem se criar.
Rainha é Iemanjá que pariu Oxalá sem se manchar.
c) Minhas idéias abstratas
De tanto as tocar, tornaram-se concretas.
São rosas familiares
Que o tempo traz ao alcance da mão.
d) Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.
e) Nessa Amplidão das Amplidões austeras
chora o Sonho profundo das Esferas
que nas azuis Melancolias morre...

8) (13804) - Subjetivismo, valorização do inconsciente e do subconsciente, busca do vago, do diáfano, musicalidade, sugestão são características da poesia:
a) romântica.
b) barroca.
c) árcade.
d) simbolista.
e) parnasiana.

9) (Udesc) - Leia atentamente os textos a seguir:
I- Quando será que tantas almas duras
Em tudo, já libertas, já lavadas
Nas águas imortais, iluminadas
Do sol do amor, hão de ficar bem puras?
Quando será que as límpidas frescuras
Dos claros rios de ondas estreladas
Dos céus do bem, hão de deixar clareadas
Almas vis, almas vãs, almas escuras?
(Cruz e Souza. POESIAS COMPLETAS. São Paulo, Ediouro, s/d, p.93.)

II- "Não acredito em bicho maligno mas besouro, não sei não. Olhe o que sucedeu com a Rosa... Dezoito anos. E não sabia que os tinha. Ninguém reparara nisso. Nem dona Carlotinha, nem dona Ana, entretanto já velhuscas e solteironas, ambas quarenta e muito. Rosa viera pra companhia delas aos sete anos quando lhe morreu a mãe. Morreu ou deu a filha que é a mesma coisa que morrer."
(OS MELHORES CONTOS DE MARIO DE ANDRADE. São Paulo, Global, 1988, p.17.)

Em relação aos fragmentos apresentados, assinale com V as proposições verdadeiras e com F as falsas.
( ) Por suas características estilísticas, os versos de Cruz e Souza pertencem ao Simbolismo e o texto de Mário de Andrade, ao Modernismo.
( ) O Simbolismo brasileiro apresenta conteúdo carregado de mistério, misticismo, sonoridade e espiritualidade.
( ) No Simbolismo o lirismo é altamente objetivo, apresentando cunho político-social.
( ) Os textos do Modernismo apresentam, além de linguagem cotidiana e dinâmica, frases despojadas.
A alternativa que apresenta seqüência CORRETA, de cima para baixo, é:
a) V, F, F, V
b) V, V, F, F
c) V, V, F, V
d) F, F, V, V
e) V, F, V, V

10) (9714 Mackenzie) - Assinale a alternativa que não se refere ao Simbolismo.
a) Na busca de uma linguagem exótica, colorida, musical, os autores não resistem, muitas vezes, à idéia de criar novos termos.
b) Ocorre grande interesse pelo individual e pelo metafísico.
c) Há assuntos relacionados ao espiritual, místico, religioso.
d) Nota-se o emprego constante de aliterações e assonâncias.
e) Busca-se uma poesia formalmente perfeita, impassível e universalizante.

11) (Cescem) - Um dos aspectos que faz com que a poesia simbolista se contraponha frontalmente ao Parnasianismo é:
a) o predomínio da linguagem denotativa sobre a figurada, como tentativa 
de exprimir com mais clareza as ambigüidades da alma.
b) a consideração do poema como um produto artístico, resultante de um processo lógico e analítico de interpretação do real.
c) a visão materialista do mundo, adequadamente expressa por uma linguagem eivada de sugestões plásticas que acentuam a idéia de sensualidade.
d) a adoção de uma postura subjetiva diante da realidade, expressa por uma linguagem rica de associações sensoriais.
e) o abandono do soneto, que, como forma poética fixa, passa ser considerado impróprio para exprimir a fluidez onírica.

12) (Cescem) - O Simbolismo enveredou por caminhos algumas vezes semelhantes aos Romantismo; é o que se pode depreender do fato de que os autores simbolistas, via de regra:  
a) aceitaram que o real é aquilo que está refletido na consciência individual.
b) asumiram uma postura esteticista, cultuaram a forma e a expressão ortodoxa.
c) utilizaram uma linguagem enxuta, direta e contundente, que dizia a expressão de seus temas ao essencial.
d) adotaram uma expressão oralizada, valendo-se dos recursos da fala popular.
e) impuseram à literatura uma concepção positiva do mundo, segundo a qual o homem exprime as contradições e grandezas da sociedade em que vive.

13) (Cescem) - O texto que segue aponta características do Simbolismo.
"Nem a idéia clara, nem o sentimento preciso, mas o vago do coração, o indeciso dos estados da alma."
Com base nessas propostas, aponte o excerto que pertence a esse movimento estético.
a) "Era um casarão sombrio, a casa da fazenda. Além de escura e abafada, recendia a um cheiro esquisito".
b) "A catedral ebúrnea do meu sonho
Aparece na paz do céu risonho
Toda branca de sol".
c) "Lá nas areias infindas,
das palmeiras do país,
Nasceram - crianças lindas,
Viveram - moças gentis..."
d) "Pois direi-me agora da grandeza, com que já me tendes ameaçado, desta província chamada Brasil, ou Terra de Santa Cruz".
e) "Vontade de dormir. Fumaça de chaminé transformada em lençol branco, cama macia de fazer água na boca."

14) (Fac. Bandeirantes-PR) - O Simbolismo caracterizou-se por ser:
a) positivista, naturalista, cientificista.
b) antipositivista, antinaturalista, anticientificista.
c) objetivo, racional.
d) volta aos modelos greco-latinos.
e) subjetivista, materialista.

15) (Fuvest)
- Perdida voz que de entre as mais se exila,
- Festões de som dissimulando a hora."
Os versos anteriores são marcados pela presença ....................... e pela predominância de imagens auditivas, o que nos sugere a sua inclusão na estética ...................... .
Assinale a alternativa que completa os espaços.
a) da comparação - romântica
b) da aliteração - simbolista
c) do paralelismo - trovadoresca
d) da antítese - barroca
e) do polissíndeto – modernista

16) (7781 Uelondrina) - "Faz descer sobre mim os brandos véus da calma,
Sinfonia da Dor, ó Sinfonia muda,
Voz de todo meu Sonho, ó noiva da minh'alma,
Fantasma inspirador das Religiões de Buda."
A estrofe acima é de Cruz e Souza, e nela estão os seguintes elementos típicos da poesia simbolista:
a) realidade urbana, linguagem coloquial, versos longos.
b) erotismo, sintaxe fluente e direta, ironia.
c) desprezo pela métrica, linguagem concretizante, sátira.
d) filosofia materialista, linguagem rebuscada, exotismo.
e) misticismo, linguagem solene, valorização do inconsciente.

17) (Ufes) - Maior importância conferida às sensações produzidas pelas coisas do que às coisas em si, visão do tempo como algo que não se pode captar e aparência fugidia das pessoas, objetos e paisagens são algumas das características de um estilo de época que se conhece como:
a) Romantismo.
b) Parnasianismo.
c) Simbolismo.
d) Impressionismo.
e) Modernismo.

18) (Cescem) - "É, mais pedras, mais pedras se sobreporão às pedras já acumuladas, mais pedras, mais pedras, mais pedras... Pedras destas odiosas, caricatas e fatigantes civilizações e sociedades... E as estranhas paredes hão de subir - longas, negras, terríficas! Hão de subir, subir mudas, silenciosas, até às Estrelas, deixando-te para sempre perdidamente alucinado e emparedado dentro do teu Sonho..."
É comum, durante o Simbolismo, a criação de textos como o acima transcrito. Com base nesse excerto de Cruz e Souza podemos dizer que se trata de:
a) uma crônica historiográfica.
b) uma tragédia em moldes clássicos.
c) um romance em que predomina a descrição
d) um poema em prosa.
e) uma sátira aos costumes.

19) (Cescem) - "Ó lua, triste, amargurada,
fantasma de brancuras vaporosas,
a tua nívea luz ciliciadas
faz murchecer e congelar as rosas."
A luz difusa, esbate difusa, esbatendo as linhas e diluindo as formas, produz uma transfiguração do objeto, o que caracteriza o ___________ e o faz aproximar-se do______________.
a) Romantismo - Modernismo
b) Simbolismo - Impressionismo
c) Realismo - Surrealismo
d) Simbolismo - Naturalismo
e) Romantismo – Realismo

20) (PUC - Campinas) - "Ah! Plangentes violões dormentes, mornos
Soluços ao luar, choros ao vento...
Tristes perfis, os mais vagos contornos,
Bocas murmurejantes de lamento."
O texto acima é um fragmento da obra Psicologia de um Vencido, de autoria de:
a) Cruz e Souza
b) Alphonsus de Guimaraens
c) Ciro dos Anjos
d) Augusto dos Anjos
e) Francisca Júlia

Gabarito dos Exercícios sobre Simbolismo

1-D,   2-E,   3-D,  4-E,  5-E,  6-B,  7-E,  8-D,  9-C,  10-E,  11-A,  12-C,  13-B,  14-A,  15-B,  16-E,  17-C,  18-A,  19-E,  20-E

Dois exercícios sobre o Cortiço

Este é um exercício que recentemente propus a meus alunos no final de uma das aulas em que falei das diferenças entre o Realismo e o Naturalismo. Creio que seja ideal para mesclar em testes avaliativos junto com questões de múltipla escolha.


O CORTIÇO

(Fragmento do Capítulo I, em que é narrada a relação entre Miranda e sua esposa Estela) 

         "Odiavam-se.  Cada qual sentia pelo outro um profundo desprezo, que pouco a pouco se foi transformando em repugnância completa.  O nascimento de Zulmira veio agravar ainda mais a situação; a pobre criança , em vez de servir de elo aos dois infelizes, foi antes um novo isolador que se estabeleceu entre eles. Estela amava-a menos do que lhe pedia o instinto materno por supô-la filha do marido, e este a detestava porque tinha convicção de não ser seu pai.
        Uma bela noite, porém, o Miranda, que era homem de sangue esperto e orçava então pelos seus trinta e cinco anos, sentiu-se em insuportável estado de lubricidade." (Aluísio Azevedo)

1) Analise a relação vivida entre os personagens apontados neste fragmento da obra O Cortiço. Por que podemos caracterizá-los como personagens realistas?

2) Compare a relação amorosa na estética realista -naturalista com o romantismo. Aponte as diferenças das escolas literárias com referência ao amor.

Exercício de Literatura sobre cantigas de amor

Você sabe como se classificam as cantigas de amigo?

Nas cantigas de amigo há uma sub-classificação que deve ser levada em conta, de acordo com alguns acontecimentos que as direcionam:



1. Albas: Acontece quando os amantes passam a noite juntos e, entristecidos, veem o dia amanhecer. O amado deve ir embora ao alvorecer. Nelas, os pássaros cantam, avisando que chegou ao fim a noite e é tempo de partir.
2.  Barcarolas: São classificadas desta maneira quando a mulher sozinha fala sobre o bafordo ou fossado (serviço militar), lamentando que estejam sendo construídas as barcas do rei, significando que logo os soldados partirão para a guerra.
3.  Bailias ou bailadas: Narram temas relacionados a festas, bailes onde ambos estiveram juntos e, após isso, se separam.
4.  Marinhas: O assunto deste tipo de cantiga são os banhos de mar, ocasião notável para que ambos, amado e amada, estivessem juntos.
5.  Romaria: Narram recordações de um tempo em que, estando ainda o amigo presente, iam em bandos pelas estradas, em companhia de outros casais, visitar os santuários religiosos.
6.  Pastoreias: O assunto, sob forma de recordação, é a alegria de estar ao lado do amado-pastor e ter passado com ele os melhores dias possíveis.
7.  Dialogadas: Consistem em diálogos entre a mulher queixosa e a natureza, mãe ou amigas, sempre a perguntar sobre o amado.
8.  De fonte, de tear: São cantigas tristes, que falam da saudade, a ausência do amado. Nelas, a amiga está tecendo, buscando água, conversando sobre a falta que o amado lhe faz.

"Estava a formosa seu fio torcendo,
Sua voz harmoniosa, suave dizendo
Cantigas de amigo.

Estava a formosa sentada, bordando,
Sua voz harmoniosa, suave cantando,
Cantigas de amigo.

Por Jesus, senhora, vejo que sofreis
De amor infeliz, pois tão bem o dizeis
Cantigas de amigo.

Por Jesus, senhora, vejo que andais com penas
de amor, pois tão bem cantais
Cantigas de amigo.

— Abutre comeste, pois que adivinhais."

Veja agora um exercício sobre o assunto:

Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das cantigas de amor.

a) O ambiente é rural ou familiar.
b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala.
c) Têm origem provençal.
d) Expressam a "coita" amorosa do trovador, por amar uma dama inacessível.
e) A mulher é um ser superior, normalmente pertencente a uma categoria social mais elevada que a do trovador.

Gabarito: A

4 ótimos exercícios de Literatura sobre Trovadorismo

1) Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura Portuguesa:

a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador declarando seu amor por uma dama (tratada de "senhor", isto é, senhora). Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa.
b) O teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de fixar tipos sociais.
c) O marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema "Camões". Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década depois, com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos mestres.
d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os intelectuais e a aristocracia.
e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de personalidade e formação cultural diferentes.



2) (Faap) - Releia com atenção a estrofe:

Fez-se de amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Tomemos a palavra AMIGO. Todos conhecem o sentido com que esta forma lingüística é usualmente empregada no falar atual. Contudo na Idade Média, como se observa nas catingas medievais, a palavra amigo significou: 

a) colega
b) companheiro
c) namorado
d) simpático
e) acolhedor

3) (Vunesp) - Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura Portuguesa:

a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador declarando seu amor por uma dama (tratada de "senhor", isto é, senhora). Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa.
b) o teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de fixar tipos sociais.
c) o marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema "Camões". Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década depois com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos mestres.
d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os intelectuais e a aristocracia.
e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de personalidade e formação cultural diferentes.

4) (Mackenzie) - Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das cantigas de amor. 

a) O ambiente é rural ou familiar.
b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala.
c) Têm origem provençal.
d) Expressam a "coita" amorosa do trovador, por amar uma dama inacessível.
e) A mulher é um ser superior, normalmente pertencente a uma categoria social mais elevada que a do trovador.
 
Gabarito dos exercícios de Literatura sobre Trovadorismo:
1 – C
2 - C
3 - C
4 - A




Exercício de Literatura sobre Trovadorismo [com gabarito]

1) Em meados do século XIV, a poesia trovadoresca entra em decadência, surgindo, em seu lugar, uma nova forma de poesia, totalmente distanciada da música, apresentando amadurecimento técnico, com novos recursos estilísticos e novas formas poemáticas, como a trova, a esparsa e o vilancete.



Assinale a alternativa em que há um trecho representativo de tal tendência.
 
a) Non chegou, madre, o meu amigo,
e oje est o prazo saido!
Ai, madre, moiro d'amor!
b) Êstes olhos nunca perderán,
senhor, gran coita, mentr'eu vivo fôr;
e direi-vos fremosa, mia senhor,
dêstes meus olhos a coita que han:
choran e cegan, quand'alguém non veen,
e ora cegan por alguen que veen.
c) Meu amor, tanto vos amo,
que meu desejo não ousa
desejar nehua cousa.
Porque, se a desejasse,
logo a esperaria,
e se eu a esperasse,
sei que vós anojaria:
mil vezes a morte chamo
e meu desejo não ousa
desejar-me outra cousa.

d) Amigos, non poss'eu negar
a gran coita que d'amor hei,
ca me vejo sandeu andar,
e con sandece o direi:
os olhos verdes que eu vi
me fazen ora andar assi.
e) Ai! dona fea, foste-vos queixar
por (que) vos nunca louv'em meu cantar;
mais ora quero fazer um cantar,
em que vos loarei toda via;
e vedes como vos quero loar.
dona fea, velha e sandia!

Gabarito: C